Hildeberto Barbosa
Hildeberto Barbosa
Hildeberto Barbosa

Não ler

Por: | 13/03/2024

Pensamentos Provisórios
Não ler é tão ou mais importante do que ler. Assegura Pierre Bayard, em seu delicioso e imprescindível ensaio, “Como falar dos livros que não lemos”, que “a não-leitura não é a ausência de leitura”. Segundo o estudioso francês, não ler não significa passividade. Ao contrário, não ler exige ação concentrada e disciplinadora. Exige rigoroso poder de organização e escolha. Exige calma, serenidade, paciência. Diante da imensidão dos livros que se põem à nossa disposição, temos de ponderar, selecionar e conviver com aqueles que nos falam coisas que consideramos relevantes, essenciais, prazerosas. Não ler, portanto, ainda é ler de certa forma. Lembra-me Paulo Freire: “A leitura do mundo precede a leitura da palavra”. Porém, não só a leitura do mundo. A leitura dos livros pressupõem a leitura de outros livros. Posso, assim, me fazer o perfil do leitor que sou, não pelo que leio, mas pelo que não leio e, talvez, nunca lerei. A propósito, na qualidade de ser viciado obsessivamente na felicidade da leitura, vivo a insólita e incômoda sensação de que não devo ler certos livros. Não só porque prefiro esse ou aquele livro em detrimento de tantos outros, mas também por razões óbvias. Não tenho mais tempo. Não tenho mais idade. Não tenho tanta saúde. Não tenho, também, acesso a certos livros. Não tenho certeza de que certos livros irão me proporcionar alguma alegria, algum conhecimento, algum conforto, algum prazer. Só por isto, é preciso aprender a não ler.

odas as reações:
Mirtzi Mirtzi, Sergio De Castro Pinto e outras 79 pessoas



FONTE: Facebook - Acesse

Todos os campos são obrigatórios - O e-mail não será exibido em seu comentário